Reabilitação Urbana: "Compre agora pague depois"

Quarta-feira, 14 de Novembro de 2012

Câmara de Lisboa assina carta de intenções com a banca para facilitar reabilitação urbana.


A Câmara de Lisboa assinou no dia 5 de Novembro uma carta de intenções com bancos para facilitar o acesso a financiamentos para reabilitar, para já, um conjunto de 60 edifícios na capital, no âmbito do programa Reabilita Primeiro, Paga Depois.

Na primeira fase deste programa, que arrancou hoje, a Câmara de Lisboa disponibiliza 60 edifícios devolutos, já com obras de reabilitação urbana definidas, atrasando "o momento do pagamento do preço para após a reabilitação, quando o edifício começar a ser rentabilizado por via do arrendamento ou da revenda", explicou hoje o presidente da autarquia, António Costa.

"Este diferimento significa reduzir o capital social necessário para a aquisição e para a reabilitação do edifício", afirmou o autarca socialista, acrescentando que, por isso, a carta de intenções assinada hoje com a banca é "absolutamente essencial" para que possa "haver acesso ao crédito para a realização das obras".

António Costa ressalvou que as "condições ao crédito não estão definidas" na carta de intenções, que é apenas um "protocolo de intenções aberto ao conjunto de bancos a operar ao mercado, que tratarão com os clientes, caso a caso, relativamente a cada uma das obras e a cada um dos clientes, as condições de concessão de empréstimo".

A vereadora da Habitação, Helena Roseta, salientou a importância de que as condições de concessão sejam "idealizadas em conjunto para que os clientes saibam as condições que o mercado oferece e para que a câmara possa dizer o que precisa".

Questionado pelos jornalistas à margem da assinatura da carta, o presidente da Associação Portuguesa de Bancos, Fernando Faria de Oliveira, adiantou que à banca "compete analisar, em função dos potenciais compradores, a sua capacidade financeira", negando já a existência de uma linha de crédito destacada ou a diminuição dos juros a quem aderir a este programa.

Sem concretizar as medidas "facilitadoras do projecto", afirmando que serão definidas pelas instituições bancárias, Fernando Faria de Oliveira mostrou-se optimista na concretização do Reabilita Primeiro, Paga Depois.

"Penso que o programa tem todas as condições para ter sucesso", afirmou.

Até ao final do ano, a autarquia espera lançar em hasta pública mais 20 edifícios devolutos no âmbito deste programa e está a estudar a possibilidade de vender um total de 200 espaços devolutos.

O vice-presidente da câmara, Manuel Salgado, disse que seriam necessários cerca de 50 milhões de euros para a sua reabilitação, valor de que a autarquia não dispõe.

Segundo dados citados por Manuel Salgado, nos últimos cinco anos foram intervencionados 8.500 edifícios em Lisboa, entre obras de conservação e reabilitação, e foram reabilitados 8.200 fogos, que totalizam uma área de um milhão de metros quadrados, num investimento de cerca de 600 milhões de euros.

Já Helena Roseta indicou que caso os programas integrados no pacote de valorização de património municipal, entre eles o Reabilita Primeiro, Paga Depois, sejam concretizados na totalidade a autarquia pode "ter todos os anos um fluxo de caixa anual que pode chegar aos 20 milhões de euros e, daqui a dez anos, um valor atualizado líquido de 160 milhões de euros".

Caixa Geral de Depósitos, Banco Comercial Português, Banco Espírito Santo, BPI, Banif, Banco Privado Português, Montepio, Santander e Caixa Agrícola assinaram a carta de intenções.

Fonte: http://rehabitarlisboa.cm-lisboa.pt

Outras imagens:

Secções: GeralImprensa

Últimas notícias

Unidade CASA VIVA Green ganha três obras de remodelação no valor de 325 mil euros em Lisboa

2017-11-20

A unidade CASA VIVA Obras Green está de Parabéns ao fechar na última semana três contratos para obras de remodelação em moradias na zona de Lisboa que totalizam mais de 325 mil euros. 

Ler mais

Construção com nono mês consecutivo de crescimento

2017-11-19

De acordo com dados do INE no mês de setembro a construção em Portugal voltou a apresentar crescimento, tendo aumentado neste mês 2,3% em relação ao período homólogo. Este é o nono mês consecutivo de crescimento 

Ler mais

Nova Unidade CASA VIVA Obras em Setúbal

2017-04-03

Setúbal recebe nova unidade CASA VIVA Obras, a maior rede nacional de Gestão de Obras, Remodelações, Reabilitações, Decoração e Construção de Moradias.

Ler mais

Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa 2017

2017-03-27

A quarta edição da Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa tem início hoje à tarde e prolonga-se até o próximo domingo, dia 2 de Abril. O Teatro Capitólio, no Parque Mayer, cuja renovação terminou em Novembro de 2016,  receberá o evento que contará com a presentação do primeiro-ministro António Costa e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa Fernando Medina na sessão de abertura do evento.

Ler mais

Fazer obras de remodelação em casa: 3 opções de financiamento

2017-01-23

Às vezes não dá para adiar mais. A casa já sofre com infiltrações, o telhado precisa de ser reparado, as canalizações precisam de uma "mãozinha", a remodelação da cozinha já não pode esperar. Decide recorrer a obras ou remodelações. E é provável que precise de assumir um empréstimo para fazer face a estes gastos.

Ler mais

Secções: GeralObras CASA VIVACASA VIVAImprensaFranchisingArquiteturaCasas de BanhoCozinhasMoradiasReabilitação UrbanaEdifíciosRemodelaçõesDecoraçãoDesign de InterioresTécnicas e DicasInspiração e TendênciasNotíciasEventos

fale connosco